Palavra do Pastor


Dom Zanoni Demettino Castro 
                                                    07/04/2017





Ao celebrarmos o Natal do Senhor somos chamados a contemplar o mistério da encarnação. O Verbo de Deus se fez carne e veio morar no meio de nós. Aquilo que os profetas anunciaram se concretiza em Jesus de Nazaré. Nesta perspectiva, ser cristão é acreditar nesta verdade, aceitar que a salvação definitiva de Deus se manifesta na pessoa de Jesus e que esta convicção fundamental estabelece uma comunhão de graça. Ao professar o conteúdo da fórmula do Credo:“Creio em Jesus, o Cristo, o Filho Unigênito, nosso Senhor, queremos afirmar que em Jesus Cristo se encontra a realidade definitiva de salvação que dá sentido à minha vida. 
Logo, é preciso crescer no conhecimento desta verdade. É necessário nos aproximarmos da vida concreta de Jesus de Nazaré, tendo presente sua maneira de agir e de se relacionar com os outros, é fundamental conhecer suas atitudes e o seu comportamento.

Sem dúvida alguma, o nosso diálogo com o mundo moderno, enfrentando suas questões mais pertinentes tem sua plausibilidade e credibilidade na concretude da vida de Jesus Cristo. A partir dele teremos uma palavra firme e de esperança, suave e tranquila, contudo, radical e verdadeira, eclesialmente fecunda e historicamente duradoura.


+ Zanoni Demettino Castro
Arcebispo Metropolitano


Notícias


COLETA DA SOLIDARIEDADE
MISSA DE DOMINGO DE RAMOS
 
Todos os anos a Igreja Católica realiza a Campanha da Fraternidade, sempre abordando temas atuais, numa proposta de transformação social e comunitária. A CF começa na quarta-feira de cinzas, e perdura pelo ano inteiro, junto com o Ano Litúrgico, atuando com fervor nas outras atividades pastorais que são desenvolvidas ao longo do ano. Em 2017, o tema da Campanha é “Biomas Brasileiros e Defesa da Vida”, e propõe um cuidado maior com o meio ambiente,
nossa Casa Comum. 
No próximo domingo, dia 09 de abril de 2017, será realizada a Coleta da Solidariedade, com a devolução dos envelopes entregues durante o período da quaresma, nas missas e celebrações.  É o gesto concreto da Campanha da Fraternidade, que se expressa pela doação em
valores, que serão utilizados para apoiar projetos sociais. É um sinal real de fraternidade, partilha e solidariedade, realizado em todas as dioceses, paróquias e comunidades cristãs católicas do Brasil. Todo o dinheiro arrecadado nas coletas de todas as missas do Domingo de Ramos, sendo ou não no envelope personalizado da CF, é destinado a Coleta da Solidariedade, dividido
entre o Fundo Diocesano de Solidariedade (60%), cujo valor é aplicado em projetos  relacionados ao tema da Campanha, e o Fundo Nacional de Solidariedade ( os 40% restantes), que tem como finalidade fortalecer a solidariedade entre as diferentes regiões do país. Com essas doações, a comunidade vai ajudar a Igreja a desenvolver obras de promoção humana e a sustentar a ação pastoral.
A Coleta da Solidariedade é de responsabilidade de cada paróquia e comunidade, e deverá ser motivada com antecedência pelo pároco, coordenador da comunidade e equipe litúrgica organizada para as celebrações
Em Feira de Santana, no dia da Coleta, teremos a tradicional Missa de Domingo de Ramos, às 08h:30, na Praça Pe. Ovídio, ao lado da Catedral Metropolitana de Senhora Santana, e as celebrações dominicais vespertinas e noturnas de cada paróquia e comunidade, conforme sua agenda ordinária.

Secretariado Arquidiocesano de Pastoral, 04 de abril de 2017.
Pe.  Edimundo Almeida dos Santos
Coordenador
Maria Gislandia Silva Agapito
Secretária

 





SANTAS MISSÕES POPULARES:
NOSSA PRIORIDADE PASTORAL

por Pe. Edimundo Almeida dos Santos
Coordenador  Secretariado Pastoral
Arquidiocese de Feira de Santana - BA
O QUE SÃO AS SANTAS MISSÕES POPULARES?

AS SANTAS MISSÕES POPULARESsão uma experiência profunda, existencial, envolvente, com a Trindade santa, fonte de vida e de liberdade. É um serviço à pastoral. Inspiram-se na missão de Jesus de Nazaré utilizando sua pedagogia e atitudes, atualizando Sua missãohoje, levando em conta a realidade sociocultural onde elas acontecem. É um jeito, uma iniciativa, que uma comunidade toma para firmar e fortalecer sua própria fé e se reanimar. É uma conscientização do chamado de Jesus para sair e evangelizar (1Cor 9,16).
CONFORME A GAUDIUM ET SPES,Constituição Pastoral do Concilio Vaticano II sobre a Igreja no mundo de hoje,“a Igreja por sua natureza é missionaria”. Essa afirmação confirma que a missão é a alma da igreja, é o eixo transversal que envolve e move toda a sua ação pastoral.
O DOCUMENTODE APARECIDA, por sua vez, nos indica o caminho para que as Santas Missões Populares deixem de ser apenas um “evento”, mas abracem todo o ser da Igreja em todo o tempo. Desenvolver a dimensão missionária da vida de Cristo de modo que deixem de ter inicio e fim cronológicos e passem a ser parte essencial, irrevogável, constitutiva da vida de uma comunidade, paróquia, região pastoral, diocese, de toda a Igreja.

COMPREENDENDO AS TERMINOLOGIAS: SANTAS MISSÕES POPULARES
AS SANTAS MISSÕES POPULAREStrata-se de uma iniciativa da Igreja Católica que se dirige ao povo sem exclusão, com o desejo em ajudar as pessoas a darem um sentido verdadeiro à vida, a construir relações sociais mais humanas e mais justas, e isso vale para todo mundo.
SANTAS: Continuam a mesma missão de Jesus, que foi santa ( Jo 4,34; 10,10; 20,21-23... Lc 4,14-21). Porque são um tempo especial de graça e salvação (2Cor 6,2)
MISSÕES: É tempo de ser enviado, de andar, de visitar, de testemunhar: “ E sereis minhas testemunhas até os confins da terra” (At 1,8) “Missão é partir, é caminhas, é deixar tudo, sair de si, quebrar a crosta do egoísmo que nos fecha no nosso eu” Dom Helder Câmara.
POPULARES: Acontecem no meio do povo, com o povo, partindo de seus anseios e lutas legítimas, assim como foi a missão de Jesus (Mt 4,23-25; 9,35-36; Mc 6,53-56; Lc 4,42-44). É a partir desse lugar social que as SMP convidam todos para a conversão e a transformação (Mt 25,31-46; 22,1-14; Lc 13,1-9)
POR FIM,vale dizer, que na condução desse projeto missionário, do qual somos os protagonistas, é necessário agir como o próprioJesus, superando as barreiras de sexo, de religião, de etnia e de classe. Não se fechar dentro da sua própria cultura, mas saber reconhecer as coisas boas que existem em todas as pessoas.
ESPERO QUEtodas as comunidades se esforcem por atuar os meios necessários para avançar no caminho duma conversão pastoral e missionária, que não pode deixar as coisas como estão.Dessa opção,“nasce o novo jeito da Igreja ser”. Como nos incentiva a Constituição Dogmática “Lumen Gentium”, a Igreja Povo de Deus, todos os batizados, assumindo responsabilidades na sua comunidade. A vida é missão, tua vida é missão.


Pastoral Familiar Arquidiocesana

Em sintonia com o Plano de Evangelização da Arquidiocese, cuja prioridade são as Santas Missões Populares, a Coordenação da Pastoral Familiar Arquidiocesana, esteve reunida no dia 04 de março de 2017, às 20h:00, para traçar metas em vista da realização do II Simpósio sobre a Família,  que acontecerá no dia 12 de agosto do corrente ano.


Arcebispo se reúne com a Pastoral da Catequese

No dia 20 de fevereiro, o arcebispo metropolitano Dom Zanoni Demettino Castro, esteve reunido com a coordenação arquidiocesana da catequese, para conhecer melhor o trabalho da Pastoral Catequética na Arquidiocese. Após escutar todos, os seus avanços e desafios da caminhada,  Dom Zanoni sugeriu um projeto para agregar as várias escolas e cursos e formação que existem na Arquidiocese. Todos envolvendo a Faculdade Católica, com maior credibilidade, canalizando a formação para um organismo educacional reconhecido e de competência.











Assembleia Arquidiocesana 2016
A Arquidiocese de Feira de Santana realizou, no dia 10 de dezembro de 2016, a Assembleia Arquidiocesana, com a presença do Arcebispo Metropolitano Dom Zanoni Demettino Castro,  todos os padres, diáconos,  religiosas, leigos  engajados em movimentos, serviços e pastorais, e seminaristas.
Os principais temas abordados foram o estudo das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (doc. 102 da CNBB), assessorado pelo padre Antonio Niemiec, (Reg. Ne 3), e a finalização do Plano de Evangelização da Arquidiocese. Para a conclusão do Plano de Evangelização, as urgências assumidas pela Arquidiocese, em consonância com as propostas pelo doc. 102,  foram discutidas pelos grupos, de onde vieram sugestões pertinentes e enriquecedoras, visando um trabalho dinâmico e alcançável. 




















ESCOLA FÉ E CIDADANIA



Foi realizada na manhã desta quinta-feira, dia 06 de outubro, mais uma reunião para criação da Escola Fé e Cidadania.
Já faz algum tempo que a Arquidiocese de Feira de Santana idealiza a criação da Escola; agora, já é um projeto em andamento organizado pela Coordenação de Pastoral,  em parceria com a Faculdade Católica.
O Projeto foi apresentado e bem aceito durante a Assembleia dos Bispos do Regional Nordeste 3, realizada em agosto do corrente ano, em Salvador. Hoje, passou pelos últimos ajustes por parte da equipe organizadora.  
Em breve, será lançado um prospecto com todas as informações, inclusive de como serão realizadas as inscrições. Aguardem!
Agradecemos desde já ao  Pe. João Eudes de Jesus, Reitor da Faculdade, por apoiar esse projeto e a sua execução através da Faculdade Católica.



IMPOSIÇÃO DO PÁLIO PASTORAL A DOM ZANONI DEMETTINO CASTRO


Em celebração ocorrida na Catedral Metropolitana de Senhora Santana, dia primeiro de setembro de 2016, às 19h30, com a presença de todos os bispos da Província Eclesiástica de Feira de Santana, todos os padres da Arquidiocese, vários bispos e padres de outras regiões pastorais e centenas de fiéis, aconteceu a solenidade de Imposição do Pálio Pastoral ao Arcebispo Metropolitano de Feira de Santana, Dom Zanoni DemettinoCastro. O ato solene foi realizado pelo Exmo. Revmo. Núncio Apostólico do Brasil, Dom Giovanni D’aniello. 
Na sua homilia, Dom Giovanni D’aniello falou que esta nova maneira de Imposição do Pálio, que coloca em evidencia a união do Metropolita com as diocese sufragâneas, na colaboração e amizade, também lhe permitiu voltar a Feira , ter novamente a possibilidade de conhecer outras realidades, de manifestar a solicitude do Santo Padre. Lembrou do dia 29 de junho, Festa dos Apóstolos Pedro e Paulo, quando o Papa Francisco entregou os pálios aos novos arcebispos. Na ocasião, o Vigário de Cristo na terra perguntava aos sucessores dos apóstolos, perguntava a Dom Zanoni, não necessariamente com palavras, mas até mesmo no silencio, no afeto, as palavras de Jesus à Pedro: Tu me amas? Então apascenta minhas ovelhas. Apascenta com cuidado, carinho e amor, este rebanho que está em Feira de Santana.
Dom João Carlos Petrini, Presidente do Regional Nordeste 3 da CNBB, Bahia e Sergipe, no seu discurso, deu boas vindas ao novo arcebispo: “ Dom Zanoni, que traz sangue novo, traz toda riqueza de sua experiência, de sua formação, seu temperamento, como uma força nova para que a luz de Cristo possa brilhar sempre mais sobre o povo desta Bahia de todos os santos. E para que a sabedoria do Evangelho nunca falte ao nosso povo”.
No final da celebração, após agradecer a presença de todos, Dom Zanoni disse: "a missão de Jesus é missão de todos nós, é a graça de podermos dizer sim como irmãos. É com este propósito de seguir Jesus e com a graça Dele, que devo dizer: Eis-me aqui Senhor”, encerrou Dom Zanoni.
Conforme a tradição, o Pálio é uma insígnia litúrgica de honra e de jurisdição que é usado pelo Papa e pelos Arcebispos Metropolitanos nas suas Igrejas e naquelas das suas províncias. É confeccionado com lã de ovelha, em representação de Jesus Cristo, o Cordeiro de Deus, e colocado sobre o ombro como o Bom Pastor que carrega sua ovelha perdida e cuida do rebanho. Esta é a primeira vez que a solenidade de Imposição do Pálio é realizada na Arquidiocese, por determinação do Papa Francisco. A comunidade católica de Feira de Santana e região esteve presente, prestigiando e vivenciando este momento inovador de fé e comunhão da Igreja.

Maria Gislandia S. Agapito
Jornalista, Fenaj 4196/BA
Arquidiocese de Feira de Santana – BA
(75) 3225-9949; 99986-1008






RODA DE CONVERSA

Na manhã do dia 31 de julho, na Casa São Paulo Apóstolo, em  Feira de Santana,  aconteceu a roda de conversa “Pensar o Brasil: a Igreja unindo fé e solidariedade, buscando as transformações estruturais em um sistema social e econômico que já é insuportável para todos”.
“O intuito foi refletir a situação atual brasileira, bem como a contribuição da Igreja para sair da crise, e para construir uma sociedade mais justa e solidária. Os questionamentos serviram de sustentação para a proposta da Arquidiocese de implantar a Escola de Fé e Cidadania em 2017, além de convidar a todos para juntos construir o 22º Grito dos Excluídos, em 2016”, afirma o Pe. Edimundo de Almeida, presente no encontro.  Como acontecem todos os anos, O Grito dos Excluídos é realizado no Dia da Independência do Brasil, em 07 de setembro.
A prosa contou com representantes da Cáritas Arquidiocesana, das Pastorais Sociais e do Diretor da Faculdade Católica, Pe. João Eudes Rocha.




ARCEBISPO DE LONDRINA PRESENTE NA FESTA DA PADROEIRA


Amanhã, dia 26 de Julho, feriado municipal, a cidade de Feira de Santana estará comemorando a Festa de sua Excelsa Padroeira Senhora Sant’Ana, encerrando o novenário que vem sendo realizado desde o dia 17. 
Os festejos começam às 05 horas da manhã, com alvorada, missa às 07:00h e,  às 10:00h, solene Concelebração Eucarística, Presidida por Dom Zanoni Demettino Castro, Arcebispo Metropolitano, Dom Itamar Vian, Arcebispo Emérito, e por Dom Orlando Brandes, Arcebispo de Londrina - PR.
A Arquidiocese de Feira de Santana está em preparação para as  Santas Missões Populares, projeto anunciado pelo Arcebispo Dom Zanoni e acolhido por todas as paróquias. A presença de Dom Orlando Brandes, que vem realizando as Santas Missões em Londrina, irá reforçar esse projeto num momento tão forte de evangelização para os católicos, que é a Festa da Padroeira.
As comemorações à  Sant'Ana serão encerradas as 16:00h com a procissão, seguida da benção do Santíssimo.


Maria Gislandia Silva Agapito
Jornalista, FENAJ 4196/BA
Arquidiocese de Feira de Santana - BA




Dom Zanoni recebe o Pálio
Presbíteros de Feira presentes na solenidade

Por ocasião da Solenidade dos Apóstolos Pedro e Paulo nesta quarta-feira, 29, o Papa Francisco presidiu à Santa Missa na Basílica Vaticana com o rito de entrega do Pálio aos novos Arcebispos Metropolitanos. Quatro arcebispos brasileiros receberam o Pálio, dentre eles, Dom Zanoni Demettino Castro, da Arquidiocese de Feira de Santana. Depois da celebração, o Papa rezou com os fiéis na Praça a oração mariana do Angelus.
O uso do Pálio, que nos primeiros séculos do Cristianismo era exclusivo dos papas, passou a ser usado pelos metropolitanos a partir do século VI, tradição que permanece até aos nossos dias. O Pálio é símbolo do serviço e da promoção da comunhão na própria Província Eclesiástica e na sua comunhão com a Sé Apostólica.
A imposição do Pálio será realizada em Feira de Santana, no dia 01 de setembro de 2016, pelas mãos do Núncio Apostólico do Brasil, Dom Giovanni D’Aniello, colocando assim em evidencia a relação do Arcebispo com a Igreja local. Esta forma também possibilita maior participação dos fiéis, presbíteros e bispos da região pastoral, numa solenidade tão significativa para um bispo.
Dom Zanoni participou do ato solene  acompanhado por uma comitiva de Feira de Santana, formada pelo Vigário Geral, Mons. José Nery de Almeida, pelo Coordenador de Pastoral, Pe. Edimundo Almeida dos Santos e por representantes leigos.  Pe Paulo Tarso e Pe. Gerson Figueiredo, presbíteros da Arquidiocese de Feira e que atualmente estudam em Roma, recepcionaram a comitiva e também acompanharam o momento solene de entrega do Pálio.




ENCONTRO PASCOM’s  PAROQUIAIS

No dia 17 de abril de 2016, foi realizado na Casa São Paulo Apóstolo, o Encontro das Pascom’s Paroquiais, com representantes de algumas paróquias que já possuem um trabalho de comunicação, e assessorado pelo jornalista Marcos Felipe Fonseca, Coordenação da Pastoral de Comunicação do Regional Nordeste 3, composto pelos estados de Bahia e Sergipe.

Organizado pela Secretaria de Pastoral, o encontro além de expôs o conteúdo do Diretório de Comunicação da Igreja no Brasil, teve como objetivo articular a Pastoral de Comunicação na Arquidiocese.  A proposta do Pe. Edimundo Almeida, Coordenador de Pastoral, é “um trabalho de Comunicação na Arquidiocese em parceria e comunhão com todas as paróquias”. 









DOM ZANONI DEMETTINO ASSUME GOVERNO
DA ARQUIDIOCESE DE FEIRA DE SANTANA

 O Papa Francisco sancionou nesta quarta-feira, dia 18 de novembro de 2015, a carta de renuncia do Arcebispo Metropolitano de Feira de Santana, encaminhada ao Vaticano desde o final de agosto, quando Dom Itamar  Vian completou 75 anos. Após vinte anos à frente da Igreja de Feira de Santana, Dom Itamar passa agora, por opção pessoal, a dedicar-se principalmente aos doentes em hospitais.
Confirmada a renuncia, o Arcebispo Dom Zanoni Demettino Castro, assume automaticamente o governo da Arquidiocese. “Estou disposto junto aos presbíteros, religiosas e forças vivas, dar continuidade a esta caminhada dinâmica da Igreja de Feira de Santana. Seguir fiel a este mandato, que passa principalmente por servir ao outro e confirmar os irmãos na fé”,  afirmou Dom Zanoni.




CONHECENDO AS PASTORAIS

Após reunir-se com a equipe da  Caminhada do Perdão, o Arcebispo Coadjutor de Feira de Santana, Dom Zanoni Demettino Castro, participou no final da manhã do dia 04 de novembro, da Assembléia da Pastoral da Pessoa Idosa, realizada na Casa São Paulo Apóstolo, coordenada pela Irmã Eliete Reis.  Dom Zanoni teve a oportunidade de conhecer um pouco da caminhada da PPI na Arquidiocese, conversar pessoalmente com os presentes, saber quantos membros tem hoje na Pastoral e quais as suas maiores dificuldades, avaliando assim um pouco do trabalho realizado nas paróquias ali representadas.





 
  • Secretaria de Pastoral © 2012 | Designed by Rumah Dijual, in collaboration with Web Hosting , Blogger Templates and WP Themes